25 de julho de 2016

Policia Militar de Passa e Fica aborta roubo aos correios e prende um suspeito, outro conseguiu fugir


Na manhã desta segunda-feira, 25, policiais militares da cidade de Passa e Fica foram acionados após denúncia sobre um elemento armado dentro dos correios da cidade.

Chegando no local, a PM identificou o acusado e com ele estava um revolver cal. 38 municiado. O mesmo confessou que praticaria o roubo e assim foi detido. Ainda existia um homem dando apoio que conseguiu fugir em uma moto não identificada.


O acusado é Robson do Nascimento Oliveira, preso do semi-aberto e estava com uma identidade falsa na hora do crime. O mesmo foi encaminhado à Polícia Civil e está à disposição da Justiça.






Homem morre e mulher fica ferida ao trocarem tiros com a PM

Confronto aconteceu no bairro de Mãe Luíza, Zona Leste de Natal (Foto: Divulgação/PM)
Um homem morreu e uma mulher ficou ferida após trocarem tiros com policiais militares na manhã deste domingo (24) no bairro de Mãe Luíza, na Zona Leste de Natal. Segundo a própria PM, os suspeitos estavam em um carro roubado e foram perseguidos até a rua Guanabara, onde houve o confronto. Um segundo casal, que também estava no veículo, conseguiu fugir.
Ainda de acordo com o subtenente, o Fox foi interceptado na subida da rua Guanabara, onde houve a troca de tiros. “Um dos assaltantes morreu. A mulher que foi baleada foi socorrida consciente ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho e um outro casal conseguiu fugir. Acreditamos que um dos dois também foi atingido pleos disparos. Por isso estamos atentos aos hospitais para ver se alguém vai dar entrada com ferimento de bala”, ressaltou Ividro.Subtenente do 1º Batalhão, Robson Ividro contou ao G1 que os policiais que trocaram tiros com os suspeitos são da Companhia Independente de Policiamento de Guardas, responsável pelo patrulhamento externo nas unidades prisionais da capital. “Eles estavam passando pela Avenida Hermes da Fonseca quando ouviram pelo rádio um chamado para um Fox preto que havia sido roubado. Ao cruzarem pelo veículo, próximo ao colégio Maria Auxiliadora, os suspeitos perceberam a aproximação da viatura e partiram em fuga. Foi quando começou a perseguição”, afirmou.
Com os suspeitos, os policiais aprenderam dois revólveres calibre 38 com munições deflagradas. O suspeito morto ainda não foi identificado.

Jovem morre enquanto trabalhava em parque de diversões de shopping

Operadora de máquinas Lídia Brito, de 19 anos, morreu enquanto trabalhava em Goiânia Goiás (Foto: Reprodução/Facebook)
A operadora de máquinas Lídia Alves dos Santos Brito, de 19 anos, morreu enquanto trabalhava no parque de diversões localizado dentro de um shopping de Goiânia. Segundo o Corpo de Bombeiros, a suspeita é que a jovem tenha sofrido um choque elétrico no momento em que cuidava do brinquedo conhecido como carrinho de bate-bate. A perírica do Instiuto Médico Legal (IML) também tem a mesma linha de pensamento, apesar de informar que a morte ainda está "a esclarecer". A Polícia Civil afirmou que deve investigar o caso.
Lída morreu na noite de sábado (23). O subtenente da Polícia Militar, Júlio César Eugênio, relatou que a vítima caiu no chão e recebeu uma descarga elétrica. “Ela estava trabalhando no parque de diversões do shopping, quando caiu no chão, em uma parte que é de ferro, e foi eletrocutada. Os bombeiros até tentaram reanimar a vítima, mas sem êxito”, relatou ao G1.
O corpo levado ao IML e a declaração de óbito expedida pelo órgão aponta que a causa da morte é "indefinida, a esclarecer por exames". No entanto, o médico legista assinala no documento que a provável circunstância da morte foi um acidente não natural. O acontecimento é descrito como "suposta eletroplessão", que é a morte que acontece por descarga elétrica.
A assessoria de imprensa do Portal Shopping, onde aconteceu o acidente, informou ao G1 por meio de nota que “a brigada do shopping chegou logo após o acidente e prestou todo atendimento, mas a vítima não resistiu”. Também segundo o texto, o shopping disse que "lamenta a fatalidade e informa que está prestando toda assistência à família da vítima”. Até que as investigações sobre o incidente sejam concluídas, a loja ficará fechada e interditada.
A empresa Sweet Play, onde a vítima trabalhava, também se manifestou em nota. O órgão disse que “está consternado com a fatalidade envolvendo sua funcionária”. O comunicado ressalta que “até amanhã [segunda-feira, 25], uma equipe de peritos especialistas em segurança de parque, contratada pela empresa, vai chegar a Goiânia para fazer a análise do acidente e no sistema que opera o carrinho de bate-bate”.
O texto informa ainda que a empresa foi autorizada a operar pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) há cerca de um mês. “Todas as manutenções e laudos necessários para a operação haviam sido feitos, em 22 de junho de 2016, respeitando os prazos dos órgãos competentes”, completou. Por fim, a nota informa que “A Sweet Play já está prestando toda assistência à família”.
Jovem morreu dentro do parque de diversões em shopping de Goiânia Goiás (Foto: Reprodução/Facebook)Jovem morreu dentro do parque de diversões em shopping de Goiânia Goiás (Foto: Reprodução/Facebook)
Família
O tio da vítima, o policial militar Sidicley Alves dos Santos, de 40 anos, contou que a sobrinha saiu de Cariri do Tocantins(TO), onde a família mora, para tentar estudar e trabalhar em Goiânia. Segundo ele, a jovem havia encontrado o trabalho há pouco tempo.
“Era uma menina muito alegre, saiu de lá para estudar. Ela vinha procurando serviço e encontrou esse, estava bem feliz com esse trabalho. Ela trabalhava com brinquedos do parquinho de diversão”, contou ao G1.
O parente relata que foi informado que a jovem morreu por causa de uma descarga elétrica. "Um dos médicos legistas me chamou e me informou que o laudo definitivo ainida vai demorar 30 dias, mas disse que com certeza ela foi eletrocutada", lamentou.
Segundo o tio, o corpo da vítima deve ser levado para Cariri, onde será velado e sepultado. Ainda não há previsão a respeito no horário da saída para a cidade ou em qual cemitério ela será enterrada.

22 de julho de 2016

CONVITE

A Prefeitura de Passa e Fica estará realizando nesse domingo, o lançamento da pedra fundamental do PARQUE TEMÁTICO BOSQUE DAS ALGAROBAS, uma obra que ficara marcada ainda nessa gestão do Prefeito Pepeu Lisboa. O Parque que servirá para caminhadas e passeios será construído as margens da RN 269 na saída para Serra de São Bento no loteamento caminho das serras.


O Prefeito Pepeu Lisboa convida a todos para o lançamento.



Vamos ajudar

Zefinha é moradora da comunidade de Barra do Geraldo, e teve sua moto roubada há alguns dias na feira livre da Cidade, sem ter outro meio de se locomover para resolver seus compromissos do dia a dia, ela esta fazendo um sorteio em forma de BINGO para arrecadar dinheiro para adquirir outra moto. Vamos ajudar.







Adolescente mata rival que chamou mãe dele de "rapariga"



Um adolescente de 16 anos foi apreendido, no final da manhã desta quinta-feira (21), suspeito de ter matado outro adolescente. A motivação do crime, de acordo com o próprio autor, teria sido um xingamento da vítima para com a mãe do autor.
O adolescente apreendido relatou que teria matado o rival com várias facadas após o mesmo ter chamado sua mãe de "rapariga". O jovem contou que nunca tinha praticado nenhum crime, mas diante de tal xingamento, não deixou barato.
"Ele mexeu com minha mãe, ai tive que matar mesmo. Ele estava lá e eu cheguei e meti a faca. Foi um bocado de facadas. Dei para matar mesmo", disse o adolescente.
O crime aconteceu no Pajuçara, na zona Norte de Natal. Ainda de acordo com o adolescente apreendido, ele é viciado em maconha. O jovem relatou que nunca matou ninguém. "Mas caso alguém mexa com minha família aí eu faço de novo".

Golpistas usam nomes de deputados do RN para conseguir dinheiro


Criminosos estão utilizando o nome de pelo menos dois deputados estaduais do Rio Grande do Norte para aplicar golpes por telefone. De acordo com os gabinetes dos deputados Dison Lisboa (PSD) e Souza Neto (PHS), mais de dez casos já foram informados aos parlamentares.
Segundo informações do gabinete do deputado, oito pessoas contatadas pelos golpistas procuraram o deputado, informando sobre o golpe. Ainda de acordo com as informações do gabinete, algumas das vítimas relataram que depositaram as quantias pedidas. Dois casos aconteceram nesta semana.De acordo com a assessoria de comunicação de Dison Lisboa, os golpistas entram em contato com as vítimas se passando por ele e pedem ajuda financeira para causas diversas. Em um dos casos, o golpista pedia dinheiro para ajudar no transplante de uma criança.
Também nos últimos dias, funcionários do gabinete do deputado Souza Neto foram procurados por servidores da Secretaria de Turismo do Estado questionando sobre um suposto valor cobrado pelo deputado. De acordo com o gabinete, pelo menos outro golpe a órgão público e a uma empresa salineira foram tentados pelo golpista.
Em nota, Dison Lisboa alertou que qualquer contato telefônico ou por outros meios de comunicação que cobrem a transferência de dinheiro não são verdadeiras. O deputado também pede que qualquer vítima do golpe procure imediatamente a polícia.

Dois carros capotam e cinco pessoas ficam feridas na BR-101

Carros colidiram e capotaram em frente ao Sam's Clube, na BR-101, no sentido Natal-Parnamirim (Foto: Muriu Mesquita/Inter TV Cabugi)

Dois carros colidiram e capotaram na manhã desta sexta-feira (22) na BR-101, em Natal (veja vídeo acima). Cinco pessoas ficaram feridas e foram socorridas ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho. Segundo informações do Samu, nenhuma delas corre risco de morte.
O acidente aconteceu em frente ao Sam’s Club, na faixa sentido Natal-Parnamirim. Segundo a PRF, em um dos carros, um Audi, o motorista perdeu o controle do veículo, subiu no canteiro central, bateu em algumas árvores e, após colidir na traseira de um Fiat, capotou. Com a força do impacto, o condutor do Fiat também perdeu a direção e também acabou capotando.
O motorista do Audi, ainda de acordo com os socorristas do Samu, sofreu ferimentos no rosto e várias escoriações pelo corpo. Já no Fiat, que seguia viagem para Recife, havia um homem, uma mulher e duas filhas do casal. Os quatro foram levados ao hospital com ferimentos leves.
Em razão da colisão, o trânsito ficou complicado nos dois sentidos da BR. Na pista onde houve a batida, houve engarrafamento por causa de um dos veículos que ficou atravessado ocupando uma das faixas. Já na pista de sentido Parnamirim-Natal, a lentidão aconteceu por causa de muitos curiosos que diminuíam a velocidade para ver o que havia acontecido e até tirar fotos e fazer vídeos do acidente.

Fernanda Lacerda tem vídeo íntimo vazado após celular ser roubado e procura a polícia

A modelo Fernanda Lacerda, conhecida por interpretar a personagem Mendigata do Programa “Pânico”, teve imagens íntimas vazadas na web. Segundo o assessor de imprensa da artista, prints de vídeos dela nua foram divulgadas através do WhatsApp após Fernanda ter o celular roubado, há pouco mais de uma semana. O representante da loira conta ainda que ela foi chantageada e ameaçada pelo ladrão e que vai prestar queixa na Delegacia de Crimes Digitais de São Paulo nesta quinta-feira.

As imagens, segundo o assessor de Fernanda, estavam no celular da modelo e foram feitas para um ex-namorado.

"A Fernanda estava num relacionamento e mandou vídeos para a pessoa. Esses vídeos estavam armazenadas no celular dela. Roubaram o celular e começaram a chantageá-la, dizendo que iam vazar se ela não desse dinheiro. Ela respondeu que não negocia com o bandido e acabaram vazando. O vídeo viralizou, e Fernanda está desesperada", contou Fabiano Abreu ao EXTRA na tarde desta quinta-feira.
Fernanda tem nudes vazado na web

Fernanda tem nudes vazado na web Foto: Instagram
A assessoria da modelo enviou um comunicado explicando o ocorrido:

“Fernanda Lacerda foi roubada semana passada, junto com seus bens estava seu celular que foi roubado também. Está circulando no Whatsapp de várias pessoas vídeos dela nua. Uma intimidade dela que não estão respeitando. Fernanda é uma pessoa que não se preocupa muito com as consequências e não deixa de fazer o que tem vontade assim como intimidades com a pessoa que possa estar se relacionando. Mesmo sendo via telefone. Só que não imaginou que seria roubada e fariam isso. O bandido, na verdade, ameaçou-a dizendo que iria divulgar o vídeo e não desse dinheiro, e ela disse que não daria dinheiro a bandido, então, ele vazou as imagens. A polícia garantiu que monitoraria os telefones que estariam passando adiante tais vídeos. Fizemos o registro de ocorrência e estamos com advogados também nos protegendo na lei Carolina Dieckmann”.

20 de julho de 2016

Mulher é presa tentando receber empréstimo de R$ 11 mil com documentos falsos



A Polícia Federal prendeu, em São José de Mipibú, Região Metropolitana de Natal, uma natalense, 22 anos, acusada de tentar obter um empréstimo consignado no valor de R$ 11 mil, utilizando-se de documentação falsificada. A mulher foi presa em flagrante quando se encontrava no interior de uma agência da Caixa Econômica Federal.
A ação aconteceu quando a PF investigava uma informação dando conta de que, na semana passada, uma pessoa havia procurado a agência da Caixa naquele município buscando obter um empréstimo consignado. No entanto, dada as características dos documentos apresentados, tais como: cédula de identidade expedida recentemente e o tipo de benefício requerido (pensão por morte), além do fato desse estar vinculado a um outro município, levantou-se a suspeita de que a transação poderia se tratar de uma fraude.
Assim, quando a mulher regressou a agência no dia de ontem para receber o dinheiro, uma equipe da PF já estava a sua espera. Ao ser abordada, ela mostrou-se visivelmente nervosa e na rápida entrevista a que foi submetida, apresentou três cidades distintas como sendo o seu local de nascimento, além de ter caído em contradição em várias outras perguntas.
Desmascarada, a acusada recebeu voz de prisão e foi conduzida para autuação na superintendência da PF, em Natal.
Durante o seu depoimento, a mulher confessou que se utilizava dos dados de uma pensionista do INSS, mas perguntada sobre como obteve a documentação, quem seriam os seus comparsas e qual a porcentagem que teria direito caso houvesse recebido o empréstimo, reservou-se ao direito constitucional de permanecer calada.
Indiciada nos crimes de estelionato, falsa identidade e uso de documento falso, ela encontra-se custodiada na sede da PF, onde vai permanecer, à disposição da Justiça.

19 de julho de 2016

'Seca verde' marca quinto ano seguido de estiagem severa no RN

Na região Oeste potiguar, a ‘seca verde’ apresenta contrastes. De um lado, a robusta e exuberante vegetação da caatinga; do outro, a terra árida e cinzenta em meio ao leito seco dos rios  (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)Na região Oeste potiguar, a ‘seca verde’ apresenta contrastes. De um lado, a robusta e exuberante vegetação da caatinga; do outro, a terra árida e cinzenta em meio ao leito seco dos rios (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Na música 'Seca Verde', de Dedé Badaró, os cantores Zezé Di Camargo e Luciano definem bem o momento pelo qual passa o sertanejo potiguar: “Nessa seca verde mora um povo nobre, morrendo de sede nessa guerra pobre”. Comum no semiárido nordestino, a seca verde caracteriza-se pela exuberância da vegetação em meio a um longo período sem água. Hoje, o fenômeno é o retrato do quinto ano seguido da mais severa estiagem da história do Rio Grande do Norte.
(G1 publica nesta semana uma série de reportagens sobre a mais severa estiagem da história do semiárido potiguar e as consequências da chamada 'seca verde')
Desde 2011 que o homem do campo sofre com a falta de boas precipitações no interior do estado. As chuvas que caíram no início do ano transformaram o cenário acinzentado em verde, mas o que veio do céu não foi suficiente para encher os reservatórios. Resultado: no final de junho, o Ministério da Integração Nacional reconheceu a situação de emergência decretada pelo governo estadual.
Atualmente, a seca afeta 153 dos 167 municípios potiguares. Destes, 14 estão em colapso (quando o companhia de água admite que não há como continuar a abastecer os moradores) e 77 desenvolveram sistemas de rodízio para o abastecimento da população (veja lista completa das cidades no fim desta reportagem).
Ao renovar a situação de emergência por mais 180 dias em março deste ano – a sexta vez seguida desde março de 2013 – o governo do estado ressaltou que a pecuária havia perdido mais de 135 mil cabeças de gado de 2012 a 2015, e que entre 2012 e 2014 houve uma redução de 65,79% na produção de grãos (milho, arroz, feijão e sorgo).
No município de Francisdo Dantas, o agricultor aposentado Francisco Fagundes, de 66 anos, busca água em poços públicos para os afazeres domésticos   (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)No município de Francisdo Dantas, o agricultor aposentado Francisco Fagundes, de 66 anos, busca água em poços públicos para os afazeres domésticos (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Lata d’água
Entre os dias 3 e 6 deste mês, o G1 foi a 11 cidades do interior potiguar para a ver de perto como o sertanejo, animais e também a vegetação do semiárido vêm resistindo à falta d'água. Em cinco municípios visitados – que atualmente enfrentam colapso no abastecimento – moradores fizeram da busca pelo precioso líquido uma rotina diária.
Aposentado, Jadismar Bento tem 68 anos e mora em Rafael Fernandes. Os efeitos da seca ele sente no bolso. “Todas as manhãs, bem cedo, vou pra rua pegar água no chafariz da prefeitura. Venho pra casa, me sento na calçada, e ligo a bomba para fazer a água subir até a caixa instalada no telhado. Demora mais de meia hora. Faço isso há um ano, que foi quando a água acabou aqui na cidade. Antes, eu pagava R$ 110 de energia, mas agora minha conta está dando mais de R$ 160”, disse.
Paulina Ferreira, de 88 anos, mora na comunidade de Mareta, na zona rural de Rafael Fernandes, no Oeste potiguar. A aposentada não vê a hora de a seca acabar. Para ela, esta é a pior estiagem já vista na região   (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)Paulina Ferreira, de 88 anos, mora na comunidade de Mareta, na zona rural de Rafael Fernandes, no Oeste potiguar. A aposentada não vê a hora de a seca acabar. Para ela, esta é a pior estiagem já vista na região (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Na comunidade da Mareta, na zona rural do município, a situação é semelhante. Paulina Ferreira tem 88 anos. Também aposentada, ela disse que não precisa sair de casa para buscar água porque tem uma cisterna que é abastecida por caminhões-pipa. Mas, como a água que é trazida pelo Exército não serve para beber, ela precisa gastar com galões de água mineral. “A água que chegava pelas torneiras era boa e eu bebia dela. A que vem de caminhão só presta pra cozinhar, tomar banho e lavar roupa”, reclamou.
A idosa disse ainda que não vê a hora de a seca acabar. Para ela, esta é a pior estiagem já vista na região. "Um sofrimento sem fim. Sem água a gente perde a vontade de fazer as coisas. É muito triste", ressaltou.
 Francisco Fagundes mostra a água amarelada que é servida no chafariz da cidade (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1) (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)Francisco Fagundes mostra a água amarelada que é servida no chafariz da cidade (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1) (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Em Francisco Dantas, a agonia não é medida apenas pela distância que se percorre ou em quantas viagens é preciso dar para se conseguir água, mas também na qualidade dela. “A água que nós temos é de graça, mas é amarelada e fedorenta. Pra beber não dá. Serve só pra cuidar das coisas de casa”, afirmou o aposentado Francisco Fagundes. Com 66 anos, ele caminha quase 1 quilômetro para chegar até o chafariz público mais próximo de onde mora. “Esse mesmo caminho faço umas dez vezes por dia. É difícil, muito difícil”, acrescentou o agricultor.
A água amarelada que jorra dos chafarizes da cidade tem uma explicação: é barrenta por conta da lama que fica no fundo do poço escavado no leito do Açude da Tesoura. O reservatório secou faz três meses, levou a empresa que abastece a cidade a suspender a cobrança e deixou um prejuízo danado para o comerciante Aldizio Costa, dono do Balneário Pingo D'água. "O nome não poderia ser mais sugestivo neste momento. Afinal, não tem um pingo d'água mesmo", lamentou.
Do alto do trapiche, antes usado para mergulhos, a visão que se tem agora é a do poço que a prefeitura abriu no fundo do Açude da Tesoura (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)Do alto do trapiche, antes usado para mergulhos, a visão que se tem agora é a do poço que a prefeitura abriu no fundo do Açude da Tesoura (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Do alto do trapiche, antes usado para mergulhos, a visão que se tem agora é a do poço que a prefeitura abriu no fundo do açude. "A água começou a baixar tem quatro anos. No final de março e começo de abril, secou de vez. Os peixes morreram todos. O pescado que eu vendo aqui no balneário vem da Bahia. Nos finais de semana o povo ainda aparece para almoçar, tomar uma cervejinha e ouvir música, mas tá longe de ser como antes, quando isso aqui lotava de gente pra tomar banho no açude. Agora, só resta rezar para que chova logo", destacou.
Guia turístico Alex Nogueira mostra a Cachoeira da Umarizeira, na serra de Martins, região Oeste potiguar, completamente seca. Sem chuva para alimentar córregos e riachos, a queda d’água deixou de existir   (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)Guia turístico Alex Nogueira mostra a
Cachoeira da Umarizeira completamente seca.
Sem chuva para alimentar córregos e riachos,
a queda d’água deixou de existir
(Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Fim da trilha
A falta de chuvas na região Oeste também castiga os que moram mais perto do céu. EmMartins, cidade serrana acostumada a receber visitantes de todos os cantos, a estiagem também trouxe transtornos e preocupação. Quem vive do turismo que o diga. “Nunca que nós pensávamos em sofrer com a seca desse jeito. Está prejudicando meu trabalho”, reclamou o guia turístico Alex Nogueira, de 21 anos.
Alex começou a fazer passeios pelas trilhas da serra de Martins ainda adolescente, quando havia água em abundância descendo pela montanha.

Era tanta água que fez surgir a Cachoeira da Umarizeira. Do alto da serra até a queda d’água, que tem uns três metros de altura, são quase 30 minutos de caminhada. Para chegar lá, é preciso passar por uma área de mata fechada.

A trilha é estreita e requer equilíbrio e bastante esforço físico. “A gente sua bastante no caminho, mas a recompensa é a melhor parte. A água gelada refresca até a alma”, recordou. Contudo, sem a chuva para alimentar os córregos e riachos da região, a queda d’água deixou de existir.
Apesar da falta de chuvas na região serrana de Martins, no Oeste potiguar, trilha que leva à Cachoeira da Umarizeira mantém a beleza natural da região (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)Trilha que leva à Cachoeira da Umarizeira, em Martins, passa por riachos e córregos agora completamente secos (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
"Sem água, quase ninguém se interessa pela cachoeira. Ainda faço passeios para outros lugares. Tem um roteiro histórico, que passa pelo museu da cidade, e tem a Casa de Pedra, um local que tem cavernas que ainda dá pra levar os visitantes. Mas, para a cachoeira, que era o passeio mais procurado, eu nem indico mais”, afirmou.
“Nos tempos bons, eu fazia até quatro trilhas para a cachoeira por dia. Cada passeio custava até R$ 150 por grupo. Agora, não faço nem dois por semana”, revelou Alex.
No Sítio Arrojado, zona rural de Frutuoso Gomes,  o agricultor Francisco Cosme da Silva, de 67 anos, luta diariamente para tentar tirar da terra o sustento da família. Com a seca prolongada, a plantação de milho mais uma vez foi perdida   (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)No Sítio Arrojado, zona rural de Frutuoso Gomes, o agricultor Francisco Cosme da Silva, de 67 anos, luta diariamente para tentar tirar da terra o sustento da família. Com a seca prolongada, a plantação de milho mais uma vez foi perdida (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Comércio da seca
O olhar do agricultor Francisco Cosme da Silva, de 67 anos, deixa evidente a frustração com outra colheita perdida. As espigas de milho estão definhadas, ressecadas e com poucos grãos. Enquanto a chuva não chega, o sol castiga e leva embora a economia de meses. O que resta da aposentadoria, é pouco para continuar. Mas é preciso.
“Sou sertanejo. Não vou desistir. Tenho que seguir em frente”. As palavras, que demonstram a persistência do nordestino, são do ‘Velho Chico’, como o idoso é carinhosamente chamado no Sítio Arrojado. A pequena comunidade fica no município de Frutuoso Gomes, onde a estiagem também não perdoa.
Francisco disse que plantou também sementes de feijão, batata doce e jerimum. “No começo do ano eu me animei. Caiu uma água só da boa e eu corri logo pro roçado. Só que a chuva acabou cedo demais. O que caiu não deu pra nada e eu perdi toda a lavoura. Só está dando capim, que serve de comida para os animais. Mas, se não voltar a chover, vai secar também."
Em Frutuoso Gomes, ma região Oeste potiguar, o autônomo Francisco de Assis Carlos, de 40 anos, tornou-se comerciante. Ele vende água em um caminhão adaptado para carregar até 2 mil litros.  (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)Francisco de Assis Carlos tornou-se comerciante. Ele vende água de porta em porta com um caminhão adaptado para carregar até 2 mil litros (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Mas, também há quem lucre com a falta d’água, como o autônomo Francisco de Assis Carlos, de 40 anos, que mora na área urbana de Frutuoso Gomes. ‘Pau para toda obra’, ele passou a se dedicar exclusivamente ao mercado da seca.
Sobre a carroceria de um velho caminhão, ele adaptou dois reservatórios de mil litros cada e saiu pela cidade vendendo água de porta em porta. “É só ligar que eu vou. Trabalho de domingo a domingo se for preciso. E até agora tem dado certo. Compro os 2 mil litros a R$ 8 em um poço particular e vendo a R$ 40. Faço de seis a oito entregas por dia. Descontando o combustível, fico com R$ 700 livres por mês”, contou.
Água que sai das torneiras da cidade de Almino Afonso, na região Oeste potiguar, vem de poços escavados pelos próprios moradores, e é servida a quem quiser pagar por ela por meio de uma rede encanada independente ao sistema da Caern, companhia estadual re (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)Água que sai das torneiras da cidade de Almino Afonso vem de poços escavados pelos próprios moradores, e é servida a quem quiser pagar por ela por meio de uma rede encanada independente do sistema da Caern (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Rede paralela
A água que abastece Almino Afonso vem do açude Lauro Maia, localizado no próprio município. Em dezembro do ano passado, já praticamente seco e com a água imprestável, não restou outra coisa para a Companhia de Águas e Esgotos do RN fazer senão suspender o fornecimento à população. E assim foi feito. Contudo, alguns moradores da cidade descobriram que existe bastante água no subsolo e estão se aproveitando disso. Lá, o negócio é vender água encanada. E tem gente se dando bem.
  •  
A água não é potável, mesmo assim ainda é melhor ter como lavar roupas, cozinhar e tomar banho do que não ter água nenhuma pra usar"
Comerciante de Almino Afonso,
que pediu para não ser identificado
Pelo menos 12 pessoas acharam água em suas terras e montaram verdadeiras redes de distribuição. O G1 conversou com algumas, e elas garantem que pelos menos 90% das casas e estabelecimentos da cidade aderiram a estas redes independentes.
“A água não é potável, mesmo assim ainda é melhor ter como lavar roupas, cozinhar e tomar banho do que não ter água nenhuma pra usar”, observou um dos proprietários dos poços. Com um copo de vidro, o comerciante fez questão de mostrar que a água é limpa. “Só não dá pra beber porque é um pouco salgada. Mas, querendo beber, pode beber”, emendou.
Com relação aos poços perfurados em cidades em colapso, a Caern informou que os mesmos não integram o sistema da empresa e que, quando a cidade está em colapso, é porque a companhia já esgotou as possibilidades de abastecimento. “Os poços mencionados devem ter baixa vazão, não sendo viável para o abastecimento e possivelmente apresentam água fora dos padrões”, destacou.
Quem não está preocupado se a água é fornecida de forma legal ou irregular é o servidor público estadual Fracinilson Nunes, de 52 anos. “Instalei o sistema para um desses poços faz quatro meses. É melhor do que ir pegar nos chafarizes da prefeitura. Os canos custaram R$ 120. Agora, é só pagar a mensalidade de R$ 50 e aproveitar a água que vem direto para as nossas torneiras”, celebrou.
Com a seca que assola o RN há cinco anos, animais mortos às margens das rodovias que cortam o estado fazem parte de um cenário desolador  (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)A paisagem mudou do cinza para o verde, mas os animais mortos às margens das rodovias que cortam o estado ainda deixam o cenário desolador (Foto: Anderson Barbosa e Fred Carvalho/G1)
Chuvas normais em 2017
O homem do campo pode ficar otimista para 2017? Segundo a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), órgão responsável pelas previsões climáticas no estado, a resposta é sim.
Meteorologista da Emparn, Gilmar Bistrot explicou que até o final de 2016 as chuvas continuarão abaixo do normal no litoral. “Em junho, por exemplo, o acumulado foi de 100 milímetros, muito pouco para o período. E isso se repetirá agora em julho, deixando o tempo bastante seco. Já para o interior, cuja seca já está confirmada mesmo, a esperança é mesmo para 2017. O tempo deve começar a melhor ainda em dezembro deste ano, tendo a situação das chuvas normalizada durante todo o ano que vem”, afirmou Bistrot.
O RN possui dois calendários pluviométricos bem distintos. Um deles envolve o litoral Leste, cujo período chuvoso começa em maio e se estende até meados de setembro. Toda a Grande Natalestá nesta área. Já para o semiárido, território que compreende até 97% dos municípios, o período chuvoso é mais curto. Começa ainda no final de dezembro, chega até o início de janeiro e logo é interrompido. Depois, as precipitações voltam no final de fevereiro e seguem até meados de março. É assim todos os anos.
“O problema é quando as chuvas ficam abaixo da média, o que vem acontecendo há cinco anos”, ressalta Mairton França, secretário estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos. “Desde que passamos a monitorar as chuvas, há 450 anos, o estado já enfrentou 116 períodos de longas estiagens. Não estamos vivendo a mais longa, mas certamente é a mais severa.”
Municípios em situação de emergência
Acari, Assu, Afonso Bezerra, Água Nova, Alexandria, Almino Afonso, Alto dos Rodrigues, Angicos, Antônio Martins, Apodi, Areia Branca, Baraúnas, Barcelona, Bento Fernandes, Bodó, Brejinho, Boa Saúde, Bom Jesus, Caiçara do Norte, Caiçara do Rio do Vento, Caicó, Campo Redondo, Caraúbas, Carnaúba dos Dantas, Carnaubais, Ceará-Mirim, Cerro-Corá, Coronel Ezequiel, Campo Grande, Coronel João Pessoa, Cruzeta, Currais Novos, Doutor Severiano, Encanto, Equador, Espírito Santo, Felipe Guerra, Fernando Pedroza, Florânia, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, Galinhos, Governador Dix-Sept Rosado, Grossos, Guamaré, Ielmo Marinho, Ipanguaçu, Ipueira, Itajá, Itaú, Jaçanã, Jandaíra, Janduís, Japi, Jardim de Angicos, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, João Câmara, João Dias, José da Penha, Jucurutu, Jundiá, Lagoa Nova, Lagoa Salgada,
Lagoa D’Anta, Lagoa de Pedras, Lagoa de Velhos, Lajes, Lajes Pintadas, Lucrécia, Luís Gomes, Macaíba, Major Sales, Marcelino Vieira, Martins, Messias Targino, Montanhas, Monte das Gameleiras, Monte Alegre, Mossoró, Macau, Nova Cruz, Olho D’Água do Borges, Ouro Branco, Passagem, Paraná, Paraú, Parazinho, Parelhas, Passa e Fica, Patu, Pau dos Ferros, Pedra Grande, Pedra Preta, Pedro Avelino, Pedro Velho, Pendências, Pilões, Poço Branco, Portalegre, Porto do Mangue, Pureza, Serra Caiada, Rafael Fernandes, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Riachuelo, Rodolfo Fernandes, Ruy Barbosa, Santa Cruz, Santa Maria, Santana do Matos, Santana do Seridó, Santo Antônio, São Bento do Norte, São Bento do Trairi, São Fernando, São Francisco do Oeste, São João do Sabugi, São José de Mipibu, São José do Campestre, São José do Seridó, São Miguel do Gostoso, São Miguel, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Rafael, São Tomé, São Vicente, Senador Elói de Souza, Serra Negra do Norte, Serra de São Bento, Serra do Mel, Serrinha dos Pintos, Serrinha, Severiano Melo, Sítio Novo, Taboleiro Grande, Taipu, Tangará, Tenente Ananias, Tenente Laurentino Cruz, Tibau, Timbaúba dos Batistas, Touros, Triunfo Potiguar, Umarizal, Upanema, Várzea, Venha-Ver, Vera Cruz e Viçosa.
Municípios em colapso
Almino Afonso, Antônio Martins, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, João Dias, Luiz Gomes, Marcelino Vieira, Martins, Paraná, Pilões, Rafael Fernandes, São Miguel, Serrinha dos Pintos e Tenente Ananias.

Municípios em rodízio
Já os municípios que enfrentam racionamento e estão em rodízio são: Acari, Afonso Bezerra, Água Nova, Alto do Rodrigues, Angicos, Assu, Barcelona, Bodó, Caiçara do Rio do Vento, Caicó, Campo grande, Carnaúba dos Dantas, Carnaubais, Cerro Corá, Coronel João Pessoa, Cruzeta, Currais Novos, Doutor Severiano, Encanto, Equador, Espírito Santo, Fernando Pedrosa, Florânia, Guamaré, Ielmo Marinho, Ipanguaçu, Ipueira, Itaú, Janduís, Jardim de Angicos, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, José da Penha, Jucurutu, Lagoa de Velhos, Lagoa Nova, Lajes, Lucrécia, Macau, Messias Targino, Olho D’água do Borges, Ouro Branco, Paraú, Parelhas, Passagem, Pedro Avelino, Pendências, Portalegre, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Riachuelo, Rodolfo Fernandes, Ruy Barbosa, Santa Maria, Santana do Matos, Santana do Seridó, São Fernando, São Francisco do Oeste, São João do Sabugi, São José do Seridó, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Rafael, São Tomé, São Vicente, Severiano Melo, Taboleiro Grande, Tenente Laurentino, Timbaúba dos Batistas, Triunfo Potiguar, Umarizal, Venha-Ver e Viçosa.