18 de janeiro de 2017

Resultado final do Enem 2016 será divulgado hoje, informa Inep

(Foto: Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil)
(Foto: Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016 podem acessar o resultado final das provas nesta quarta-feira (18). Isso porque o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) decidiu antecipar a divulgação, inicialmente prevista para o dia amanhã (19).
No resultado, os candidatos poderão saber quanto tiraram em cada uma das quatro provas do exame: ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e matemática. Também terão acesso à nota da redação, cujo tema foi a intolerância religiosa no Brasil.
Teoria da Resposta ao Item
A correção do Enem é feita com base na metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), que não estabelece previamente um valor fixo para cada item. O valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, um item que teve grande número de acertos será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. O estudante que acertar uma questão com alto índice de erros, por exemplo, ganhará mais pontos por aquele item.
No final do ano passado, cerca de 6 milhões de candidatos fizeram o Enem em todo o país. As notas da prova podem ser usadas para pleitear vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), bolsas no ensino superior privado pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Além disso, os candidatos com mais de 18 anos podem usar o Enem para receber a certificação do ensino médio.
No final da manha, o Ministro da Educação, Mendonça Filho, concede uma entrevista no ministério para falar sobre os resultados e a consulta pública do Enem, além de divulgar as datas do Sisu.

VÍDEO: Comboio para transferência de presos chega a Alcaçuz

O número de presos e o destino deles não foi informado, mas, esta quarta-feira(18) marca um dia importante para tentativa de retomada do controle da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no  município de Nísia Floresta, na Grande Natal: a transferência de presos. Um comboio  formado por um ônibus e veículos do Batalhão de Operações Especiais e do Batalhão de Choque da Polícia Militar e do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil se encontra na maior penitenciária do estado para realizar a operação.
Duas facções rivais, compostas por integrantes do Sindicato RN e Primeiro Comando da Capital (PCC), passaram a noite em barricadas montadas durante essa terça-feira (17), e trocam ameaças de um novo confronto,  e muitos passaram a noite desta quarta-feira(18) sobre os telhados dos pavilhões.
O Sindicato do RN exige a transferência de integrantes do PCC, que estão no Pavilhão 5, para que não ocorra um revide ao ataque, em que segundo a facção, matou 26 presos no sábado(14), que pertenceriam ao Sindicato. Veja imagem da chegada do comboio abaixo.

16 de janeiro de 2017

RN pede Força Nacional para 'retomada do controle' em Alcaçuz



O governo do Rio Grande do Norte pediu reforço da Força Nacional de Segurança para intervir e entrar na Penitenciária de Alcaçuz, onde 26 morreram e, "promover a retomada do controle no sistema prisional", segundo carta do gabinete-geral do governador Robinson Faria (PSD).
Obtido pelo G1, o documento solicita ao ministro Alexandre de Moraes (Justiça) autorizar o uso da "Companhia de Pronta Resposta", uma equipe da Força Nacional que, com equipamentos de proteção, serviria para "intervenção" em Alcaçuz "em apoio do Batalhão da Polícia de Choque do estado". A Força Nacional já atua no Rio Grande do Norte mas do lado de fora de Alcaçuz.
Em outro ofício, o governo do Rio Grande do Norte pede por 30 dias um helicóptero para "missões relacionadas ao sistema de segurança pública, aeromédicas e outras legalmente previstas e devidamente solicitadas" pelo secretário da Segurança Pública.
O Ministério da Justiça ainda não confirmou que o pedido foi recebido. Nesta terça (17), o governador Robinson Faria se encontrará com Alexandre de Moraes.
Documento do Governo do RN pede Força Nacional (Foto: G1)
Documento do Governo do RN pede Força Nacional (Foto: G1)
Rebelião
Segundo o secretário de Justiça e Cidadania (Sejuc), Wallber Virgolino, a rebelião em Alcaçuz começou na tarde do sábado logo após o horário de visita. O secretário disse que os presos do pavilhão 5, que abriga integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), usando armas brancas, quebraram parte de um muro e invadiram o pavilhão 4, onde há presos que integram o Sindicato do Crime, facção criminosa rival do PCC. Ainda de acordo com Virgolino, todos os 26 mortos são do Sindicato.
Os cinco presos apontados pela Secretaria de Segurança Pública como chefes da facção que promoveu a matança de presos em Alcaçuz foram levados para a Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), em Natal, na tarde desta segunda, para prestar depoimento a uma comissão de delegados e, de lá, serão transferidos para outra unidade prisional.
O governador Robinson Faria publicou no Twitter, nesta segunda-feira, que pedirá ao Governo Federal mais agentes da Força Nacional para atuar no estado.
PM e GOE entraram na unidade prisional nesta segunda para tentar retomar o controle (Foto: Josemar Gonçalves/Reuters)PM e GOE entraram na unidade prisional nesta segunda para tentar retomar o controle (Foto: Josemar Gonçalves/Reuters)
Nesta segunda-feira, os presos amanheceram em cima dos telhados dos pavilhões com paus, pedras e facas nas mãos, além de bandeiras com as siglas de facções criminosas. A Sejuc nega que a rebelião tenha sido retomada, mas diz que a situação é tensa dentro da unidade. Por volta das 11h50 a Polícia Militar entrou na área dos pavilhões e os detentos desceram dos telhados.
Além dos 26 mortos, o governo do estado confirmou que existe a suspeita de que haja mais corpos dentro da unidade e que o Corpo de Bombeiros fará a busca dentro da fossa. Um carro da Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) chegou ao local por volta das 11h para esvaziar a fossa.
Presos sobem em telhados em Alcaçuz, no RN, para evitar confronto com facções (Foto: Fred Carvalho/G1)Nesta segunda, os presos amanheceram em cima dos telhados dos pavilhões (Foto: Fred Carvalho/G1)

Chefes de facção deixam Alcaçuz e devem ser transferidos

Cinco presos deixaram a Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, na tarde desta segunda-feira (16). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública,  esses detentos estariam entre os chefes da facção que promoveu a matança de presos entre o sábado (14) e o domingo (15) dentro da unidade. Eles foram levados para a Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), em Natal, para prestar depoimento a uma comissão de delegados e, de lá, serão transferidos para outra unidade prisional. Por questões de segurança, o governo não informou para qual presídio eles serão levados.
Os presos transferidos foram Paulo da Silva Santos, João Francisco do Santos, José Cândido Prado, Paulo Márcio Rodrigues de Araújo e Thiago Souza Soares.
Neste fim de semana, 26 detentos de Alcaçuz morreram em uma rebelião que durou mais de 14 horas.
Segundo o secretário de Justiça e Cidadania (Sejuc), Wallber Virgolino, a rebelião em Alcaçuz começou na tarde do sábado logo após o horário de visita. O secretário disse que os presos do pavilhão 5, que abriga integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), usando armas brancas, quebraram parte de um muro e invadiram o pavilhão 4, onde há presos que integram o Sindicato do Crime, facção criminosa rival do PCC. Ainda de acordo com Virgolino, todos os 26 mortos são do Sindicato.
Chefes de facção que promoveu matança em Alcaçuz são transferidos (Foto: Jocaff Souza/ G1 RN)Chefes de facção que promoveu matança em Alcaçuz são transferidos (Foto: Jocaff Souza/ G1 RN)
Os presos amanheceram a segunda-feira em cima dos telhados dos pavilhões com paus, pedras e facas nas mãos, além de bandeiras com as siglas de facções criminosas. A Sejuc nega que a rebelião tenha sido retomada, mas diz que a situação é tensa dentro da unidade. Por volta das 11h50 a Polícia Militar entrou na área dos pavilhões e os detentos desceram dos telhados.
A Polícia Militar, com apoio do Grupo de Operações Especiais (GOE) e Grupo de Escolta Penal (GEP) retirou do presídio os cinco detentos apontados – segundo investigações das forças de segurança do Rio Grande do Norte – como os chefes da rebelião que terminou com presos mortos e feridos.
Após negociação, PM, GOE e GEP fizeram buscas nos pavilhões 4 e 5 e conseguiram identificar os cinco suspeitos, que foram encaminhados para a Polícia Civil, onde serão interrogados pelas autoridades competentes.

Polícia prende na PB dupla que diz ter fugido do presídio de Alcaçuz, no RN



Dois homens que se identificaram como fugitivos do presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, foram presos na manhã desta segunda-feira (16) na cidade de São Bento, no Sertão da Paraíba. A prisão aconteceu às 10h30 (horário local) e, junto com a dupla, outro homem foi preso e é suspeito de ter recebido os fugitivos em sua casa.
A fuga, segundo a dupla relatou à polícia, aconteceu no sábado (14), quando teve início uma rebelião que durou mais de 14 horas e teve um saldo de 26 presos mortos. Na madrugada desta segunda-feira, detentos do Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato, em Natal, iniciaram uma nova rebelião que foi controlada às 5h30 (horário local).
A Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte informou “que está ciente da prisão de três homens na Paraíba que se dizem detentos fugitivos da Penitenciária de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte. A Sejuc informou que a confirmação da identidade dos homens só será possível após a contagem dos presos em Alcaçuz, o que só vai acontecer quando houver condições de segurança”.
Ainda conforme o relato dos policiais que atuaram na prisão, os fugitivos revelaram ter aproveitado o início do motim para fugir da penitenciária sem ser percebidos. No primeiro depoimento à polícia, eles não deram detalhes de como fugiram, mas um deles revelou apenas que saiu do local por um buraco.
Os dois estavam na casa de um parente de um deles, que também acabou sendo preso pela polícia nesta manhã. Os policiais fizeram uma varredura na residência, mas até as 11h30 (horário local) não encontraram armas, nem drogas.
A Polícia Militar revelou também que só foi possível chegar aos suspeitos após denúncias anônimas. Os três homens foram encaminhados para a delegacia da Polícia Civil, onde estavam prestando depoimento até as 12h (horário local). As informações são do G1 Paraíba.

Vereador teria sido sequestrado e disputa da presidência em Câmara Municipal de Itapororoca empata

Está na esfera judicial a eleição para Mesa da Câmara de Itapororoca, na porção Norte da Zona da Mata da Paraíba, a 69 km de João Pessoa. O vereador Jailson Fernandes (DEM) preside a Casa, mas o vereador Rodrigo de Carvalho (PSDB) tenta anular a eleição. Ele quer ser o presidente. No recesso do Judiciário, Rodrigo recorreu a três comarcas (onde havia plantões) com pedidos de anulação. Não obteve êxito. Perdeu em Mamanguape, Cruz do Espírito Santo e Pedras de Fogo. Não satisfeito, recorreu ao Tribunal de Justiça. O desembargador Saulo Benevides, em decisão monocrática, também rejeitou o pedido.
Mas qual o motivo da briga do vereador Rodrigo Carvalho, na Justiça, pela presidência da Câmara de Itapororoca? Um empate durante a votação no dia 1º de janeiro. Jailson Fernandes obteve cinco votos para presidente, assim como Rodrigo. Como assim, se a Câmara tem 11 vereadores? Tudo aconteceu porque o vereador Francisco Augusto de Meireles, conhecido como Chico da Saelpa (PP), não compareceu para votar. Ele alegou ter sido sequestrado no dia da eleição. Chegou ao ponto de prestar queixa à polícia denunciando o sequestro.

“O declarante (Chico da Saelpa) afirma que estava em sua residência trocando de roupa para se dirigir à cerimônia de posse na quadra da Escola Estadual Severino Félix de Brito, onde tomaria posse no cargo de vereador”, diz o boletim policial, acrescentando que, naquele momento, além de familiares, estavam na casa dele os vereadores Altamir Meireles (PP), Rizeuda Nunes (PP), Rodrigo Carvalho (PSDB) e seu irmão, Roni Carvalho.
Segundo o boletim, essas pessoas tentavam convencer Chico da Saelpa a não votar na chapa de Jailson para presidente da Câmara Municipal. “Em dado momento, dois homens desconhecidos, em um veículo de placa do Rio Grande do Norte, chegaram e logo adentraram à residência, sem permissão, para intimidá-lo”. Diz ainda o Boletim de Ocorrência que, naquele instante, o vereador Rodrigo pediu para Chico sair de casa com seu irmão Roni, pois se ficasse, “as coisas poderiam piorar”.

Seis presos que comandaram rebelião no RN são identificados

Da Agência Brasil 
As autoridades de segurança pública do Rio Grande do Norte informaram já ter identificado pelo menos seis presos que comandaram a rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia da Floresta, na região metropolitana de Natal. O motim começou perto das 17h desse sábado (14), após uma briga entre integrantes de facções criminosas rivais que cumprem pena na unidade, e foi contida no começo da manhã de hoje (15).
Segundo os secretários estaduais da Justiça e da Cidadania, Walber Virgolino da Silva Ferreira, e da Segurança Pública e Defesa Social, Caio César Marques Bezerra, a participação de outros detentos na rebelião está sendo apurada. Todos os apenados cujo envolvimento ficar provado responderão a processos criminais, podendo ser transferidos para presídios federais de segurança máxima.
O número exato de mortos e feridos ainda está sendo averiguado. Em coletiva de imprensa concedida esta manhã, em Natal, Virgolino confirmou a morte de pelo menos dez detentos, mas não descartou a hipótese deste número ser maior. Apesar das mortes e dos danos materiais à penitenciária, o secretário da Justiça e da Cidadania classificou a operação de retomada do controle da unidade como um sucesso.
"Durante a semana, sofremos críticas dizendo que quem mandava no sistema penitenciário do Rio Grande do Norte não era o estado. Se o estado não tivesse total controle, outras unidades prisionais tinham se rebelado, como aconteceu em 2015. Por que eu digo que foi um sucesso? Porque conseguimos evitar um maior número de mortes. O pavilhão [rebelado] tem 200 presos. Se morreram dez ou 20 é ruim. Ninguém queria que isso acontecesse, mas podiam ter morrido os 200", disse Virgolino, destacando o fato de nenhum agente penitenciário ou policial militar ter sido ferido durante a rebelião.
As mortes em Alcaçuz são mais um episódio da guerra entre facções criminosas que disputam o controle de atividades ilícitas, sobretudo do narcotráfico. De acordo com as autoridades potiguares, as rebeliões e as chacinas de presos registradas no Amazonas e em Roraima nos primeiros dias do ano “estimularam” os detentos do Rio Grande do Norte. Segundo Virgolino, em todas as unidades da federação do país, o clima no sistema prisional é de tensão. No decorrer da última semana, a Polícia Militar (PM) já tinha apreendido armas e celulares no interior da penitenciária.
“Como em qualquer outro canto do país, no Rio Grande do Norte há uma briga entre facções criminosas. Há uma organização de nível nacional que está tentando dominar o Brasil. E há as facções locais que tentam impedir esse crescimento", comentou Virgolino, confirmando que, no interior da Penitenciária de Alcaçuz, há detentos que afirmam pertencer ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e outros ligados à Família do Norte (FDN), facções rivais.

Bando explode cofre do Banco do Brasil de São José do Campestre e fogem sentido Passa e Fica pela RN 093


A imagem pode conter: atividades ao ar livreOs bandidos especializados em arrombamento de caixas eletrônicos voltaram a atuar no interior do Estado. Na madrugada desta segunda-feira (16), o alvo foi uma agência do Banco do Brasil, localizada no município de São José do Campestre. De acordo com o comandante do destacamento, por volta das 02h40, cerca de 15 homens fortemente armados chegaram na cidade atirando, explodiram o cofre e levaram todo o dinheiro.
Segundo a Polícia, na ocasião, armas e coletes dos vigilantes foram levados pelos criminosos. Os bandidos ainda fizeram de reféns um vigia e duas jovens durante a ação.
No momento da fuga, vários grampos foram jogados na RN 093 próximo a fazenda Barrinha no sentido Passa e Fica. Nenhum suspeito foi preso. O banco será periciado pelo ITEP e em seguida investigado pela policia Federal.

Presos se rebelam em mais um presídio do Rio Grande do Norte

Detentos tentaram derrubar parede do presídio Raimundo Nonato. Governo diz que situação está controlada; não há informação sobre feridos.


Rebelião controlada no Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato, em Natal, pelo Batalhão de Operações Especiais (Foto:  Divulgação/Sindicato dos Agentes Penitenciários do RN (Sindasp))Rebelião controlada no Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato, em Natal, pelo Batalhão de Operações Especiais (Foto: Divulgação/Sindicato dos Agentes Penitenciários do RN (Sindasp))
Detentos do Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato, em Natal, estão rebelados desde as 3h (4h de Brasília) desta segunda-feira (16). Segundo o governo do Rio Grande do Norte, a situação foi controlada por volta das 5h30 (6h30 de Brasília). Não houve fugas e não há informações sobre feridos. No fim de semana, uma rebelião em outro presídio do estado deixou 26 mortos.
De acordo com a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), os presos tentaram derrubar uma parede do presídio Raimundo Nonato, mas a polícia interveio e evitou a fuga. Eles ainda tentaram entrar em uma área de isolamento da unidade, onde ficam os presos ameaçados de morte, mas não conseguiram.
O Grupo de Operações Especiais da pasta entrou no presídio às 7h30 (8h30 de Brasília) para debelar o motim.
A nova rebelião atrasou uma revista prevista para ocorrer na manhã desta segunda-feira na Penitenciária de Alcaçuz, onde ocorreram as mortes no fim de semana.
Conhecido como Cadeia Pública de Natal, o Presídio Provisório Raimundo Nonato não tem grades, que foram arrancadas em rebeliões anteriores. O estabelecimento tem 166 vagas projetadas, mas abriga 600 detentos, segundo um relatório de novembro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). As condições são consideradas "péssimas".
Policiais em frente ao presídio Raimundo Nonato, no Rio Grande do Norte, onde ocorreu rebelião (Foto: Maksuel Figueiredo/Inter TV Cabugi)Policiais em frente ao presídio Raimundo Nonato, no Rio Grande do Norte, onde ocorreu rebelião (Foto: Maksuel Figueiredo/Inter TV Cabugi)
26 mortos
O motim em Alcaçuz começou na tarde de sábado (14) e terminou 14h depois, na manhã do domingo (15). Quase todos os 26 mortos foram decapitados.
Os presos do pavilhão 5 invadiram o pavilhão 4. Segundo o titular da Sejuc, Wallber Virgolino, um trabalho de contenção realizado por agentes penitenciários com o uso de bombas de efeito moral evitou a entrada dos rebelados no pavilhão 1. "Em termos de número de mortes, essa é a maior rebelião da história do Rio Grande do Norte", disse.
Ainda de acordo com o secretário, a rebelião no Rio Grande do Norte não tem relação confirmada com os motins no Amazonas e em Roraima. "Não há confirmação de relação, mas com certeza as rebeliões naqueles presídios incentivaram o que aconteceu aqui", disse Virgolino.
A Penitenciária de Alcaçuz, segundo o governo, ficou parcialmente destruída e não há previsão para reconstrução. Ainda na tarde de sábado, um detento fugiu da penitenciária, mas foi recapturado em seguida.
Crise em penitenciárias
O massacre de Alcaçuz é o terceiro a ocorrer neste ano em presídios brasileiros. No Amazonas, 60 presos morreram em Manaus – 56 no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e quatro na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), nos dias 1 e 2 de janeiro.
No dia 6 deste mês, 33 foram mortos na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc), em Roraima. Dois dias depois, quatro detentos morreram na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no centro de Manaus, para onde haviam sido transferidos presos do Compaj.

13 de janeiro de 2017

Polícia apreende cerca de 25 quilos de maconha dentro de casa em Guarabira

Apreensão aconteceu no bairro de Terezinha, em Guarabira (Foto: Major Sinval/Polícia Militar)
Cerca de 25 quilos de maconha foram apreendidos nesta quinta-feira (12) dentro de uma casa no bairro de Santa Terezinha, em Guarabira. Segundo a Polícia Civil, houve uma informação anônima de que uma carga de drogas estava sendo transportada dentro de caixas em um ônibus de viagens interestaduais que saiu do Rio de Janeiro com destino à Paraíba.
A polícia fez um monitoramento e acompanhou o momento em que o ônibus chegou a Guarabira, uma mulher pegou as caixas e levou até a casa de um homem que já foi preso por tráfico de drogas, no bairro Santa Terezinha.
No momento da abordage, apenas a esposa do suspeito de tráfico estava na residência e foi detida. O homem foi localizado e preso depois com anotações sobre o destino da droga e da contabilidade do tráfico. Além deles, também foi identificada e presa a mulher suspeita de transportar a droga da rodoviária até a casa. Até 14h30 (horário local), a polícia não conseguiu localizar o passageiro que teria feito o transporte das caixas com drogas no ônibus que saiu do Rio de Janeiro.
Os três foram conduzidos para a Central de Polícia Civil, em Guarabira, onde estão prestando depoimento durante a tarde. As informações são do G1 Paraíba.

Quadrilha explode agência bancária e assalta Correios em Japi

Agência bancária ficou destruída com a explosão (Foto: Cedida/Joabson Silva)Agência bancária ficou destruída com a explosão (Foto: Cedida/Joabson Silva)
Criminosos invadiram a agência e explodiram um caixa eletrônico do Bradesco e arrombaram uma agência dos Correios na madrugada desta sexta-feira (13) no município de Japi, a cerca de 130 quilômetros de Natal. De acordo com a Polícia Militar, a quadrilha conseguiu fugir.
As testemunhas informaram que a ação durou menos de dez minutos até os suspeitos fugirem atirando em estabelecimentos e deixando grampos espalhados nas ruas da cidade. A polícia ainda não sabe se o dinheiro do terminal foi levado pelos criminosos.Segundo a PM, o crime aconteceu por volta das 3h. Os homens armados chegaram em um carro, invadiram o estabelecimento e explodiram o caixa. A agência bancária ficou destruída com a força da explosão. Segundo relato de testemunhas, todos usavam armas de grosso calibre. Em seguida, arrombaram a agência dos Correios. Não se sabe o que foi levado.
A polícia fez buscas, mas ninguém foi preso. O caso vai ser investigado pela Polícia Federal e a 9º Delegacia de Polícia Civil de Santa Cruz.
Segundo testemunhas, toda a ação durou menos de 10 minutos  (Foto: Cedida/Joabson Silva)Segundo testemunhas, toda a ação durou menos de 10 minutos (Foto: Cedida/Joabson Silva)

Policial do Rio de Janeiro reage a assalto e é baleado no RN


Um policial militar do Rio de Janeiro foi baleado no braço durante uma tentativa de assalto, na tarde desta quinta-feira (12), na rua dos Bambus, no conjunto Satélite, bairro Pitimbu. A vítima acabou reagindo a ação de três criminosos que já chegaram anunciando o roubo.
De acordo com informações repassadas pelo Centro de Operações da Polícia Militar, o fato ocorreu por volta das 16h, o oficial que terá a identidade preservada estava na porta de casa quando os suspeitos chegaram anunciando o assalto. Um dos criminosos armado atirou no momento que a vítima esboçou reação.
Ferido no braço o policial foi socorrido por familiares a uma unidade médica, mas não corre risco de morte. os assaltantes fugiram com destino ignorado, porém equipes do 9° Batalhão realizaram buscas e patrulhamento na tentativa de localizar os envolvidos, mas ninguém foi preso.

12 de janeiro de 2017

Ministro anuncia que piso salarial de professores será de R$ 2.298,80 em 2017

Resultado de imagem para piso dos professores 2017

O Ministro da Educação, Mendonça Filho, informou nesta quinta-feira (12) que o novo piso salarial dos professores terá um reajuste de 7,64% a partir de janeiro de 2017. Com o aumento, o salário-base passa dos atuais R$ 2.135,64 para R$ 2.298,80. Segundo o Ministério da Educação, a portaria com o novo piso salarial será publicada na edição desta sexta-feira do "Diário Oficial da União".
O valor deve ser pago para docentes com formação de nível médio com atuação em escolas públicas com 40 horas de trabalho semanais. Segundo a pasta, o reajuste ficou 1,35% acima da inflação medida em 2016, que fechou o ano em 6,29%.
Em 2016, o aumento foi de 11,36%, o que significou um ganho salarial de 0,69% acima da inflação.
Veja abaixo a evolução do piso salarial dos professores desde 2009:
Veja a evolução do salário dos professores desde 2009 (Foto: Editoria de arte/G1)Veja a evolução do salário dos professores desde 2009 (Foto: Editoria de arte/G1)
Veja a evolução do salário dos professores desde 2009 (Foto: Editoria de arte/G1)
Em oito anos, o piso salarial dos professores aumentou quase 142%, de R$ 950, em 2009, para R$ 2.298,80, em 2017. Atualmente, o piso equivale a 2,4 salários mínimos. O reajuste deste ano foi o menor desde 2009. O maior reajuste foi 22,22%, em 2012.

Valor mínimo por aluno

Pela regra atual, a correção do piso reflete a variação ocorrida no valor anual mínimo por aluno definido nacionalmente pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).
De acordo com o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Franklin de Leão, 14 estados não cumprem o piso nacional da categoria estabelecido por lei.
Para contribuir com o cumprimento do piso, o governo federal repassa 10% do Fundeb para estados e municípios.
O ministro da Educação informou que, a partir deste ano, o pagamento será feito mensalmente. Antes, o governo tinha até abril do ano seguinte para fazer o repasse.
“Vamos pagar mês a mês aquilo que seria pago só até abril de 2018”, disse.
O ministro disse que há uma demanda de prefeitos e governadores para que seja alterada a lei que define o cálculo do reajuste. Ele ponderou, porém, que não há no momento uma discussão sobre o assunto no ministério.
“O Brasil vive há algum tempo a recessão e a queda de receita de estados e municípios, mas nossa obrigação é cumprir a lei federal”, disse. “Vivemos um dilema. Limitações financeiras de estados e municípios de um lado e, de outro, a necessidade de que os professores sejam valorizados”, complementou.
Segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM), o impacto do reajuste anunciado para este ano será de R$ 5 bilhões aos cofres municipais. A entidade ressalta que, atualmente, os prefeitos comprometem, em média, 78,4% dos recursos do Fundeb apenas com salários dos professores.